O colágeno representa um terço de toda a proteína presente em nosso corpo, une os elementos celulares e dá origem ao processo de formação dos órgãos e tecidos.

A partir dos 30 anos, nosso corpo perde cerca de 1% de colágeno ao ano, e quando chegamos aos 50 anos, produz apenas 35% do colágeno necessário.

Essa diminuição do colágeno está associada ao nosso processo de envelhecimento, quando os músculos ficam mais flácidos, a densidade dos ossos diminui, os ligamentos e articulações perdem força e elasticidade, o cabelo fica mais fino, ocorre a diminuição da elasticidade da pele e aparecem as rugas.

As mulheres sentem mais os efeitos da falta do colágeno por conta da menopausa, devido à dimunuição dos hormônios sexuais (estrogênio, DHEA e testosterona).

O tabagismo e a exposição excessiva ao sol diminui muito a irrigação das camadas que formam a pele, diminuindo a produção natural de colágeno.

A falta de sono, desidratação, estresse e alimentação deficiente também aceleram o processo de envelhecimento.

A utilização do colágeno hidrolisado pode ajudar na reposição, pois fornece aminoácidos fundamentais para a manutenção dos ossos e a regeneração de algumas articulações. Também permite que o organismo mantenha uma quantidade de massa muscular adequada, sendo um eficiente aliado contra os processos de flacidez tecidual, mantendo o aspecto jovial do corpo.

Existem algumas medicações e tratamentos de uso tópico, tipo dermocosméticos retinoides, como o retinol, e os alfa-hidroxiácidos, pro-xylane, hediona, HEPES e o ácido hialurônico, que estimulam a pele a produzir o colágeno que vamos perdendo com o tempo.