A pele é uma barreira protetora impermeável, que impede a perda de líquidos, a penetração de substância e de microorganismos e regula a temperatura do corpo.

Protege também o corpo das radiações ultravioletas do sol e é a sede de reações imunológicas relacionadas à defesa do organismo.

Na terceira idade, todas as funções da pele tornam-se mais frágeis e sujeitas às agressões do meio ambiente, especialmente no que se diz respeito aos raios solares, que aceleram o processo de envelhecimento da pele.

A luz solar é fundamental para a produção de vitamina D, porém deve-se evitar os horários de pico do sol.

A perda de água da pele inicia-se por volta dos 25 anos e é acompanhada do desaparecimento de fibras do colágeno e proteínas, que são a base da elasticidade natural.

Com isso, a pele tende a se tornar enrugada e ocorre a diminuição das glândulas sebáceas e sudoríparas, tornando-a mais seca e com menor capacidade de adaptação às variações de temperatura do meio ambiente.

Observa-se também, o aparecimento de angiomas ou manchas avermelhadas e o crescimento de cistos sebáceos localizados no subcutâneo.

Os distúrbios da pele são facilmente reconhecidos e se apresentam através de erupções, eczemas, manchas, bolhas, vesículas, pústulas, urticária, coceiras, entre outros.

O exame da pele feita por um profissional experiente traz informações inestimáveis sobre o estado de saúde do organismo, indicando o tratamento necessário e adequado.